sábado, 28 de março de 2009

Il - Ao Deus Desconhecido

Antes de prosseguir com meu blog à francesa , não poderia deixar de citar aqui ao menos uma vez a oração que mais grita por mim, incinerando, proferida por uma mente alemã de admirável postura em prol da Verdade... Bem antes, Já dizia Jesus 'Conhece a verdade e ela te libertará.' ... E então veio Nietzsche e disse ' As convicções são mais inimigas da verdade que as mentiras'... E ele mesmo o maior caçador de verdades (e portanto, mentiras - duas faces de uma mesma moeda, tal como amor e odio) , um dos maiores opositores das religiões e do cristianismo, acabou cedendo ao que parece emanar de todos que buscam tal Verdade... E tais palavras devem ser reescritas, postadas, lidas, relidas e sentidas **


Antes de prosseguir em meu caminho

e lançar o meu olhar para frente uma vez mais,

elevo, só, minhas mãos a Ti na direção de quem eu fujo.

A Ti, das profundezas de meu coração,

tenho dedicado altares festivos para que,

em Cada momento, Tua voz me pudesse chamar.

Sobre esses altares estão gravadas em fogo estas palavras:


Ao Deus desconhecido”.


Teu, sou eu, embora até o presente tenha me associado aos sacrílegos.

Teu, sou eu, não obstante os laços que me puxam para o abismo.

Mesmo querendo fugir, sinto-me forçado a servi-lo.

Eu quero Te conhecer, desconhecido.

Tu, que me penetras a alma e, qual turbilhão, invades a minha vida.

Tu, o incompreensível, mas meu semelhante,

Quero Te conhecer,

Quero servir só a Ti.



Por Friedrich Nietzsche (Traduzida do alemão por Leonardo Boff)

2 comentários:

Samara disse...

vc escreve muito bem, seus textos nos fazem refletir sobre a vida. sao profundos, dá até vontade de chorar, rsrsrs.

beijos amiga, gosto muito de vc!!!!!!!!

adria disse...

Ow samaraa brigada..mas nem eh pra tanto.. Eh meu eu-lirico falando as vezes..he
Te gosto pakas tbm meninaa! Vamo que vamo!